Há muito tempo venho observando as variações nos gostos e preços dos cafés pelo Brasil a fora, e por isso resolvi pesquisar sobre o assunto que tanto me interesso.

Vejo o quanto o Brasil é rico nesta fruta, tendo duas espécies e dentro dessas, várias variedades. O café é a nossa segunda maior economia, perdendo apenas para o petróleo.

O Brasil é o maior produtor de café do mundo e o segundo maior consumidor, perdendo apenas para os Estados Unidos.

O estado de Minas Gerais é o principal em produção e qualidade do fruto. O café produzido em Patrocínio, no alto do Paranaíba, bateu o recorde de mais caro do mundo em leilão internacional, onde a saca de 60 kg saiu por R$ 55.547,60.

Os cinco maiores produtores de café do Brasil são os estados de Minas Gerais, São Paulo, Espirito Santo, Bahia e Rondônia. Somente o estado de Minas Gerais participou com 54, 3% da produção de café do ano de 2018.

No Brasil são plantados duas espécies de café; o Arábica e o Robusta, sendo o Arábica o café mais comercializado neste país. Ambos apresentam inúmeras variações.

Dentro deste mercado tão vasto desta pequena fruta, tenho conversado com pequenos produtores e observado como é difícil para eles se manterem com o que é pago a quem produz, e o que ganha quem vende no final da cadeia produtiva.

Enquanto uma saca é vendida em média a R$ 450,00 e produz em torno de 5.000 xícaras de café e cada xícara é vendida em média por R$ 5,00 cada, aquela saca que foi comprada do produtor que sofreu todas as possíveis tragédias (clima, praga, economia), rende R$ 30.000,00 ao comerciante final. Isto esta correto?

Observo também como somos mal educados no consumo dessa bebida tão valiosa. Digo isso porque aceitamos ficar com o que sobra de pior do café. O melhor é exportado e o que é comercializado no mercado interno é uma mistura de grãos, e para que não seja percebido as impurezas que há (galhos, folhas, cascas), é necessário uma torrefação mais forte, o que dá esse sabor amargo nesse café comum comprado em supermercados.

A maioria das pessoas acham que o café é amargo o que na verdade não é. Este é um fruto que tem um sabor todo especial variando de acordo com o clima, altitude e o que esta a sua volta. É muito importante também a forma utilizada para a secagem, armazenagem e torrefação dos grãos, isso faz cada tipo e variedade ser única.

Quem gosta realmente de café, sabe muito bem a diferença que o grão escolhido faz no sabor desta bebida.

É com o propósito de buscar um equilíbrio entre a produção inicial e a comercialização final que resolvi pesquisar e escrever sobre o nosso tesouro, o CAFÉ!